terça-feira, 29 de novembro de 2016

MINHA LUTA COM AS MOSCAS 3

Um amigo me receitou a leitura de Graciliano Ramos. Isso aconteceu depois que confidenciei a meu amigo que estou escrevendo um romance e ter dado a ele algumas páginas do primeiro capítulo para ele ler e criticar. Sem crítica de certa forma não se anda e, crítica de amigo é na maioria das vezes sempre bem-vindas.

Usei a palavra receitou, embora tecnicamente um livro não seja um remédio e essa palavra ser própria do mundo dos doutores médicos porque polido como é meu amigo, ele não gostaria de ler um romancista chato, cheio de suspense desnecessário só para agradar o amigo. Se vamos ler, leiamos o que é bom.

Ultimamente as moscas têm tomado muito da minha atenção. Já declarei dias atrás meu ódio a elas, agora por motivo que não sei explicar claramente se apoderou de mim um sentimento inverso, um sentimento de carinho pelas moscas. Achei isso muito estranho e resolvi pedir ajuda a quem tem me dado a alegria de ler meus textos para eu decifrar minha recente afeição pelas moscas.

Não sei se coincidência ou não, o livro que meu amigo me receitou, na página 44, Graciliano (desculpem a intimidade) descreve a cena do ódio da cachorra Baleia pelas moscas. Cito: “Baleia, sob o jirau, coçava-se com os dentes e pegava as moscas. ”

Depois de descrever a atitude da cachorra Baleia para com as moscas a qual não era muito amistosa, Graciliano Ramos descreve a afeição que as moscas em dado momento gozavam de Sinhá Vitória. Cito: “Tudo ali era estável, seguro. O sono de Fabiano, o fogo que estalava, o toque dos chocalhos, até o zumbido das moscas, davam-lhe a sensação de firmeza e repouso. ”


Ora, eu que pensava estar ficando perturbado via agora que não. As moscas têm mesmo o poder de despertar sentimentos diversos em nós. 

2 comentários:

Biel Braga disse...

obriguei-me a concordar...depois de o ler, pricipalmente depois de tal recordação(conheci a " baleia" nos idos dos anos 90...assim logicamente,Graciliano...

Biel Braga disse...

obriguei-me a concordar...depois de o ler, pricipalmente depois de tal recordação(conheci a " baleia" nos idos dos anos 90...assim logicamente,Graciliano...