segunda-feira, 28 de novembro de 2016

MINHA LUTA COM AS MOSCAS

Todas as criaturas de Deus são inteligentes e úteis. Julgo assim com base no texto bíblico do livro de Gênesis, que é o livro dos começos, que conta a história da criação, que “viu Deus tudo quanto tinha feito e era muito bom.”

Porém, não sei a utilidade das moscas. Entretanto, sei muito bem que elas têm inteligência ou esperteza.

As moscas têm olhos divididos em quadrantes e patas rápidas. Visão e rapidez poderia explicar a inteligência das moscas. Mas membros não trabalham independente de um sistema central nervoso. Precisam de coordenação. Estímulos elétricos. Mas como caber em um corpo tão minúsculo um sistema central tão sofisticado? Passou a ser o novo pensamento que me atordoava.

O sistema nervoso das moscas é tão eficiente que ao menor sinal de que queremos eliminá-las liga o motorzinho e foge, talvez rindo da nossa cara.

Vivo lendo livros. Escolho um lugar para ler. Geralmente é a cama. Tranco a porta do quarto para dar a mim mesmo um isolamento do dos demais ambientes da casa, ligo o ventilador e curto as letras. Todos da casa entendem isso, menos as moscas.

Enquanto leio, elas acham de entrar pelo vão entre meus óculos e meu olho. As enxoto. Não satisfeitas voam tão próximo do meu nariz que prendo a respiração com medo de suga-las pelas narinas.

Depois de certo tempo dedicado inutilmente a afugentá-las me armo com um pedaço de tecido e fico à espera delas. Enquanto estou nesse estado de prontidão as danadas não se aproximam. Solto o tecido achando que resolvi o problema, elas voltam a mil, acho que rindo da minha cara de bobo.


Minha casa não é suja. É limpa regularmente e eu tomo banho regularmente também. Elas não são atraídas por sujeira nenhuma, portanto. Acho que são atraídas pelo instinto de querer tirar a paciência de quem só quer ter um tempo gostoso pra ficar quieto e ler.

Nenhum comentário: