segunda-feira, 31 de julho de 2017

Pedido de Socorro

Senhores gringos que leem meus escritos, quero explicar alguns detalhes deste país que é minha terra-mãe. Perdoem por chamar os senhores de gringos. Não se trata de nenhum desmerecimento. É apenas uma força de expressão. Quanto a chamar o Brasil de minha terra-mãe tenho tido cá minhas reservas. Peço, me ouçam um pouco. Logo após os senhores dizem se justifica meu desapego a esta terra onde nasci que chamo de terra-mãe.

Amigos, acho que posso chamá-los assim, pois quem tira um pouco de seu tempo para ouvir um amigo angustiado pode mesmo ser considerado amigo, em minha terra-mãe quando uma pessoa mata outra usando um carro e sob o efeito do álcool é inocentado após pagar um valor em dinheiro que, sinceramente eu não sei para onde vai; talvez para pagar o tempo perdido dos policiais que tiveram que prender o assassino para depois soltá-lo por ordem da justiça.

Eu sei que na terra dos senhores a situação é diferente porque a lei do país dos senhores é dura contra assassinos e por saberem os legisladores da terra dos senhores que se não punirem o criminoso estarão os senhores dando ocasião para que estes se espalhem e o caos seja estabelecido prejudicando a vida de muitas pessoas.

Amigos, essa atitude do Brasil é razoável? A de soltar assassinos bêbados no volante.

A cada dia os noticiários se repetem dando conta de mais e mais assassinos que usam o carro para matar e saírem ilesos. A gente até pensa que a notícia é antiga, que os noticiários por falta de pauta estão se repetindo, mas não é. São os assassinatos que se repetem dia após dia e os assassinos continuam à solta tomando seus engovs. Perdão. Os senhores não sabem o que seja Engov, não é? São remédios para curar a ressaca.

Enquanto uns curam a ressaca os que perderam seus queridos por ação de um assassino embrigado nunca terão suas feridas curadas. Pior, amigos, é que é ferida do coração.

Amigos gringos, seria possível que os senhores convocassem o Conselho de Segurança da ONU para conversar com os legisladores da minha terra-mãe?

Nenhum comentário: